Proteja sua saúde. Não use nem consuma pesticidas.

Comentário: Chris Bonato, nov.2014  gaia@aprendendobiologia.com.br

Os pesticidas têm sido utilizados para matar muitas formas de vida que poderiam afetar as culturas agrícolas, tais como ervas daninhas, insetos e fungos.  Para combatê-los desenvolveram-se herbicidas, inseticidas e fungicidas. Todavia estas drogas são tóxicas também para os outros organismos que vivem no ambiente e que contribuem de forma positiva para o desenvolvimento das culturas como, por exemplo, as joaninhas, as abelhas, etc. Some-se a isto o fato de que os resíduos dos pesticidas acumulam-se na cadeia alimentar causando danos às aves, peixes, outros animais e, no topo da cadeia, aos seres humanos.

Ao nos alimentarmos estamos ingerindo tais resíduos, seja consumindo produtos da agropecuária contaminados, seja consumindo os seres aquáticos os quais, com as chuvas, recebem grande quantidade de resíduos dos solos contaminados por agrotóxicos que se dispersam no meio.

No Brasil a soja, cana-de-açúcar, algodão, tabaco e eucalipto têm ocupado cada vez mais as terras agriculturáveis com o objetivo de alimentar o ciclo dos agro combustíveis, avançando sobre os biomas do Cerrado e da Amazônia, modificando e limitando o modo de produção da população que ali habita. Atualmente milhões de litros de agrotóxicos são despejados no território brasileiro. Em 2008 o Brasil assumiu o posto de maior mercado mundial de agrotóxicos, superando os Estados Unidos. Das 50 formulações de agrotóxicos mais utilizados no país, em 2012, 22 eram proibidas no resto do mundo.

No cultivo de hortaliças utiliza-se mais agrotóxico por hectare do que o utilizado no cultivo da soja. Um terço dos alimentos consumidos cotidianamente está contaminado por agrotóxicos. Uma das tabelas publicadas no Dossiê Virtual da Abrascorelativa às hortaliças mostra o número de amostras analisadas por cultura e os resultados insatisfatórios, quando é possível constatar altos percentuais de amostras contaminadas de pimentão, morango, pepino, alface, cenoura, abacaxi, beterraba, mamão, etc.

Do ponto de vista da saúde humana, além da calamidade ambiental, os agrotóxicos já foram associados à toxicidade aguda, ação neurotóxica, toxidade reprodutiva, desregulação endócrina e carcinogenicidade.

Se puder manter uma mini horta em sua casa ou apartamento poderá minimizar os efeitos deletérios, para sua saúde, desta ação desequilibrada e possivelmente não devidamente fiscalizada no uso de agrotóxicos.